Vinícolas no Chile – Viña Santa Cruz

Todo mundo que gosta de vinhos conhece a fama dos vinhos chilenos, e claro, quem vai ao Chile, quer conhecer as vinícolas. Próximo a capital, Santiago, existem algumas regiões vinícolas, como a própria região de Santiago, que conta com as viñas mais conhecidas como Concha y Toro, Cousino Macul e Undurraga, a região de Casablanca, na cidade homônima, com as viñas Emiliana, Casablanca e Casa del Bosque (que foi muito recomendada por locais) e por ultimo, mas não menos importante, e talvez a mais bonita das regiões vinicolas, o valle de Colchagua, com viñas muito conhecidas internacionalmente, como Viu Manent, Montes, Santa Helena e a viña Santa Cruz, a qual, mais nos interessamos em visitar, devido a diversificação do tour oferecido.

Ainda aqui no Brasil estivemos pesquisando qual melhor forma de ir até a viña Santa Cruz, que fica entre as cidades de Santa Cruz e Lolol, descobrimos que tem um trem que parte de Santiago algumas vezes ao mês com destino ao valle de Colchagua, também conhecido como Trem Sabores del valle que percorre a Ruta del vino de Colchagua, mas o tal trem não iria na data em que estaríamos no Chile e também descobri que é bem caro, outra opção seria fazer um tour com uma das agências de viagens de Santiago, a qual também ficaria extremamente caro, então a opção que restou e a mais viável, tanto financeiramente quanto com relação a tempo, foi alugar um carro, a qual se mostrou uma decisão acertada, pois não ficou tão caro, e deu para conhecer melhor a região e as estradas, que são lindas, cheias de parreirais e com a imponente cordilheira do Andes cheia de neve ao fundo.

Partimos de Santiago umas dez horas e chegamos a cidade de Santa Cruz por volta de uma hora da tarde (isso mesmo, são TRÊS horas de viagem), bem cansativo, mas a paisagem compensa, paramos para almoçar na cidade de Santa Cruz, que embora seja pequena, é bem movimentada e conta com bons restaurantes. Havia feito reserva para as 13:00h na vinícola, então, já estava fora do horário marcado, terminamos de almoçar e andamos mais vinte minutos até encontramos a vinícola, ufffaaa, parecia que não iria chegar nunca!!!

Entrando na propriedade, existe uma estrada que leva até a sede, onde fica a recepção. Nisso, já marcavam 14:00h, e fui tentar ver o que poderia fazer, já que tinha perdido o horário da visita marcada. Eles nos colocaram no tour das 15:00h, explicaram como era a visita, e que ela começa no cerro Chaman, o qual leva uma hora, depois a visita segue até a área de produção de vinhos e por fim a degustação, que leva mais uma hora, sendo um total de duas horas de tour. Ótimo, tivemos das 14:00 até as 16:00 para conhecer o local, uma hora a mais para apreciar tudo.

Ficamos andando pelos parreirais e tirando fotos, subimos o teleférico e fomos conhecer o cerro Chaman onde encontra-se uma espécie de exposição da cultura de tribos pré-colombianas que viveram no chile, como os Mapuches, os Aymara e os Rapa Nui. As exposições são pequenas, mas bem organizadas, cada vinho produzido pela Santa Cruz tem referência a uma dessas tribos nativas, vinhos esses que também são mostrados nas exposições. Mas o cerro tem outras belezas, como a vista do valle de Colchagua, que é impressionante. Ficamos um bom tempo admirando as planícies repletas de parreiras secas, isso mesmo, parreiras secas, fomos no inverno e infelizmente elas não estavam verdinhas, mas nem por isso perderam sua beleza, claro que verdes no verão devem ser bem mais bonitas, mas o que vimos já foi suficiente para nos encantarmos com o lugar.

Por fim, dadas 16:00h fomos conhecer a vinícola propriamente dita, nada muito expressivo, pois são tanques em inox e uma plataforma para andar por cima deles, mas a explicação do modo de produção, os tipos de uva, a forma que funciona o lugar é muito interessante. E ao terminar as explicações fomos levados a sala de guarda no subsolo, onde nos esperavam algumas garrafas de vinho para serem degustadas.

A degustação é feita com três vinhos diferentes, e eles vão ensinando como conhecer os vinhos, e como aprecia-los, explicando sobre as formas de guarda e sobre as uvas, um pouco do que ocorre de transformação no vinho, entre outras coisas, e saímos dali mais encantados ainda com o lugar, que além de muito belo, ofereceu-nos um atendimento fantástico!

Antes de irmos embora, passamos pela loja de vinhos para conhecer e levar alguns exemplares, pois a final, não era só o passeio que era bom, mas os vinhos também!

Dados do passeio:

Aluguel de carro: R$150,00
Combustível: R$ 150,00
Pedágios: R$ 27,00
Vinícola: R$98,00 por pessoa

Seguro viagem america do sul 336x280

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.